Arraiolos/PT

História

* Arraiolos, cuja fundação atribuída a Sabinos, Tusculanos e Albanos, remonta ao séc.II a.c., tem segundo vários autores, o nome derivado do governador grego: Rayeo ou Rayo, que nestas terras foi senhor, " Terras de Rayo ", e que, posteriormente, por sucessivas transformações viria a dar: " Rayolo ", " Arrayollos ". Teve 1º Foral, de D.Dinis, em 1290, e Castelo mandado edificar pelo mesmo monarca em 1305. Foi condado de D. Nuno Álvares Pereira - 2º conde de Arraiolos - a partir do ano de 1387. Antes de recolher ao Convento do Carmo em Lisboa, o Condestável do reino, permaneceu aqui longos períodos da sua vida.

 

 

 

 

 

 







Breve Apontamento Histórico
Bordados ao longo de séculos, os Tapetes de Arraiolos são uma das afirmações mais vincadas do génio do nosso povo.

Chegaram até nós graças às mãos laboriosas de gerações de bordadeiras que lhes imprimiram o melhor do seu gosto, da sua arte, com traços da vida da grande planície alentejana. Nos finais do séc. XV, por mandato de D. Manuel I, expulsas da Mouraria (Lisboa) e a caminho do norte de África e do sul de Espanha, várias famílias mouriscas viriam a fixar-se nestas terras.

Com a particularidade de serem artesãos exímios e face ao bom acolhimento da população local, estes indivíduos dedicaram-se à manufactura de tapeçarias, a que, disfarçados de cristãos novos, iriam chamar de tapetes de Arraiolos.

Os documentos mais antigos que se referem ao fabrico destes tapetes na vila de Arraiolos datam de finais do sec. XVI, supondo-se no entanto que a sua implantação date de tempos mais recuados.

 

 

 

 

 

Arraiolos recebe Foral novo de D. Manuel em 1511.
Com limites administrativos definidos a partir de 1736, sofreu, entretanto, várias alterações:
- Inclusão no distrito de Évora (1835) ; Anexação do concelho de Vimieiro (1855) ; Anexação do concelho de Mora (1895) ; desanexação do concelho de Mora (1898).
Após a revolução do 25 de Abril de 1974, surge o Poder Local Democrático - foram resolvidas muitas das necessidades básicas das populações; promoveu-se o desenvolvimento económico e social de forma integrada e harmoniosa, elevando continuamente as condições materiais, sociais e culturais de vida, no concelho.
Situado no interior sul do país, na vasta região alentejana , Arraiolos é hoje um concelho rural de 2ª ordem, com 684,08Km2, para uma população de 8207 habitantes ( censos de 1991) distribuidos por 7 freguesias: Arraiolos, Vimieiro, Igrejinha, S. Pedro da Gafanhoeira, Sabugueiro, S. Gregório e Santa Justa.
Arraiolos assume-se, hoje, com uma administração aberta e democrática, como um concelho em expansão, onde as suas gentes, orgulhosas dos seus antepassados e do seu património, perspectivam um futuro de progresso.
Cultura / Artesanato
http://www.cm-arraiolos.pt/artesanato/artesanato.htm

Turismo
http://www.cm-arraiolos.pt/turismo/patrimonio_religioso.htm

Culinária
http://www.cm-arraiolos.pt